Seguro aquícola: custo extra ou insumo importante?
Aquicultura

Seguro aquícola: custo extra ou insumo importante?

Produto da Fairfax Brasil foi lançado em 2016 e tem como objetivo proteger a criação de tilápias e de mariscos

08 de abril de 2021

arroba publicidade
Segundo Fabio Damasceno, diretor de Agronegócioda Fairfax Brasil, uma seguradora brasileira que oferece um seguro aquícola aprovado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), o "seguro aquícola representa um insumo importante para o negócio e não um custo extra" pontuou à Seafood Brasil. 
 
Segundo Damasceno, esse produto é inédito e foi lançado em 2016. Já o objetivo é proteger a criação de tilápias e de mariscos. A empresa também atua em parceria com o Departamento de Gestão de Riscos da Secretaria de Política Agrícola (DEGER/SPA) e com a Secretaria de Aquicultura e Pesca (SAP), para aprimorar a divulgação do seguro ao setor aquícola. 
 
Desde a criação do seguro aquícola, a empresa já emitiu um total de R$ 400 mil em prêmios e planeja emitir em 2021 algo em torno de R$ 1.000.000 em prêmio. Segundo Damasceno, é possível assegurar criações tanto de viveiros em tanques escavados, quanto em mar aberto e represas. “A apólice, contratada anualmente pelo piscicultor interessado, inclui uma cobertura base contra poluição, podendo contar com coberturas adicionais contra roubo e furto, predadores naturais, temporais, alteração química da água, falha mecânica e elétrica de maquinário. O produto é bem abrangente", completou.
 
Para ele, o diferencial da Fairfax está na estrutura de apólices com coberturas desenhadas especialmente de acordo com o risco de cada piscicultor. No ano passado, o desempenho geral da divisão de agronegócio da empresa teve um salto de 155%. Já o prêmio agrícola da seguradora atingiu R$ 227,3 milhões, ante R$ 89,1 milhões em 2019.
 
“Por se tratar ainda de um produto novo no mercado de seguros, entendemos que estamos em fase de maturação. Esse período é necessário para que possamos realizar ajustes no produto, profissionalizar parceiros e fomentar o acesso ao seguro junto aos piscicultores. Em 2020, nossos esforços foram direcionados especialmente para realizar melhorias na coleta de informações de campo, aperfeiçoamento de classificação e análise dos riscos envolvidos na atividade”, declarou.
 
 
O produto está habilitado e o produtor pode participar do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural, de forma a incentivar a contratação. O percentual subvencionado é de 40% do prêmio limitado a R$ 24.000 por CPF/ano. Para Damasceno, essa mudança traz grandes oportunidades para o avanço do segmento.
 
Mesmo com todas as condições adversas em ano de pandemia, a empresa terminou 2020 com um “crescimento expressivo” porque conseguiu realizar uma rápida transição das operações para o home office e manter o atendimento. “Entendemos que, durante momentos de crise, surgem boas oportunidades e quem se adapta rápido consegue inovar. O home office tornou a rotina mais eficiente. A comunicação foi intensificada e permitiu maior presença junto aos parceiros”, falou.
 
Para este ano, a Fairfax Brasil pretende garantir a expansão do seguro aquícola, com um crescimento sustentável que proporcione a perpetuidade dos negócios. O foco está no desenvolvimento de apólices que atendam às necessidades dos criadores e suas peculiaridades porque, conforme o diretor, em cada tipo de produção, localidade e manejo, os riscos são diferentes. “Ao entendermos tais particularidades, conseguimos ser mais assertivos na precificação e na aplicação das franquias”, finalizou.
 
 
Créditos da imagem: Acervo/SeafoodBrasil

, aquicultura, Fabio Damasceno, FairFax Brasil, mariscos, SAP, seguro aquícola, tilápias

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3