Retrospectiva 2020: Food Service
Food Service

Retrospectiva 2020: Food Service

Algumas das principais notícias do setor em 2020

14 de janeiro de 2021

arroba publicidade

O food service nacional viveu em 2020 um dos anos mais trágicos de sua história. O setor foi um dos mais atingidos pela pandemia da Covid-19, sofrendo colapsos em todo o mundo. Aqui no País, o segmento de bares e restaurantes registrou baixas enormes. A crise global trouxe diversos desafios e o setor precisou se reinventar com delivery, voucher, lives e mais uma série de outras medidas para não encerrar as atividades, tudo isso enquanto encarava inúmeras regras de funcionamento e protocolos sanitários. 

 
Confira a seguir algumas das principais notícias do food service nacional em 2020:
 
 
Quando 2020 começou, o setor estava discutindo novas tendências, como o compartilhamento de espaços corporativos que vinha se mostrando cada vez mais promissor, visto em diferentes segmentos, o coworking e as dark kitchens ainda eram uma das tendências do momento. No setor de alimentação fora do lar não era diferente, como a iniciativa da Halipar (Holding de Alimentação e Participações) que inaugurou um modelo unindo marcas do grupo no mesmo espaço (leia mais aqui).
 
Logo em seguida, o food service foi duramente castigado pelos efeitos da pandemia do novo coronavírus no Brasil. Só em maio - quase dois meses depois após as primeiras medidas do isolamento social - o setor de bares e restaurantes já havia perdido um milhão de empregos, como revelou Paulo Solmucci Júnior, presidente-executivo da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes). No final de maio, a Abrasel lançou uma uma cartilha com recomendações para uma reabertura segura dos estabelecimentos (leia mais aqui)
 
Também em maio, um encontro da série de webinars do “Pescado em Análise”, criado pela Seafood Brasil, se debruçou sobre os impactos da Covid-19 para o food service, o encontro virtual contou com a participação de nome conhecidos do mercado e teve o patrocínio da Frescatto Company. O food service foi o quarto tema da série que já tinha falado sobre lideranças setoriais, varejo e e-commerce (veja mais aqui).
 
  
 
 
Uma nova atualização da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-SP) divulgada em julho, mostrou que cerca de 50 mil bares e restaurantes foram fechados no estado de São Paulo desde abril. Apenas na capital, 12 mil estabelecimentos encerraram as atividades durante o período (leia mais aqui).
 
Fechados desde março, os Festivais Ceagesp voltaram a funcionar em agosto, quando teve início a temporada 2020 do Festival do Pescado e Frutos do Mar. O evento, que começaria em setembro, foi antecipado e marcou a reabertura presencial para o público do Espaço Gastronômico Ceagesp. A reabertura obedeceu rigorosamente a todos os protocolos de segurança e de higienização determinados pelas autoridades de saúde e pela Prefeitura de São Paulo (leia mais aqui).
 
 
 
 
Os Distribuidores Especializados em Food Service (Diefs) informaram os indicadores do mês de agosto. Conforme o grupo, o faturamento do mês de 2020 apresentou crescimento de 2% em relação a agosto de 2019. O período também registrou crescimento de 4 % sobre julho de 2020. O levantamento trouxe ainda um novo dado coletado: o patamar de clientes ativos, que teve crescimento de 4,24% no mês de agosto de 2020 em relação ao mesmo mês de 2019. De acordo com a coordenadora do estudo, Flavia Carro, pela primeira vez desde a pandemia a média mês do grupo em 2020 ficou melhor que 2019 (leia mais aqui)
 
Em meio ao sufoco do setor, a Associação Nacional de Restaurantes (ANR) enviou uma carta pública ao governador de SP, João Dória, em outubro, reclamando do pacote de ajuste fiscal. A entidade disse que a gestão Dória “está prestes a colapsar os bares e restaurantes com um absurdo aumento de ICMS no momento mais crítico da história do setor”. Segundo a Folha, o governo rebateu e disse que não haveria aumento de impostos e que a autorização dada pela Assembleia é para a redução de 20% em todos os benefícios fiscais, com exceção da cesta básica de alimentos e remédios, além de serviços de transporte (leia mais aqui).
 
 
O Ciclo de Talks venda Seu Peixe trouxe em novembro um debate sobre como os restaurantes japoneses se reinventaram na crise. Amanda Brasil (Frescatto Company), Sarah Cavalcante (Hatsu Izakaya) e Fernando Medeiros (Japidinho) foram os convidados do episódio. Ao longo de seis encontros, a Francal Feiras e a Seafood Brasil reuniram marcas e pessoas com interesses em comum para uma jornada de capacitação e troca de informações sobre o pescado no varejo e no food service (leia mais aqui).
 
A Revista Time Out realizou uma pesquisa com 38 mil moradores de 30 metrópoles de diversos países e continentes para saber qual era o prato 'icônico' que representava a sua cidade. As escolhas das receitas que levam peixes ou frutos do mar apareceram entre 10 dos 30 pratos da lista, oscilando entre a primeira e a segunda colocação. A matéria ainda indica opções de estabelecimentos para apreciar todas as descobertas (leia mais aqui).

Abrasel, ANR, Francal Feiras, Halipar, Paulo Solmucci, Venda Seu Peixe, Webinar Pescado em Análise

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3