Paraná salta 11,5% e segue líder dos peixes de cultivo no Brasil
Aquicultura

Paraná salta 11,5% e segue líder dos peixes de cultivo no Brasil

Na análise por regiões, o Sul continua liderando a produção e já representa 31,1% da piscicultura brasileira

22 de fevereiro de 2021

arroba publicidade
Mesmo durante uma pandemia, a piscicultura brasileira cresceu 5,93% em 2020. No período, o Paraná segue na liderança na produção de peixes de cultivo no Brasil, segundo dados do Anuário 2021 da Associação Brasileira da Piscicultura (PeixeBR) divulgados nesta segunda-feira (22/02).
 
No maior Estado produtor, foram 172.000 toneladas em 2020 contra 154.200 t no ano anterior, um salto de 11,5%. São Paulo aparece logo atrás com um saldo positivo de 6,9% em 2020. O que elevou a produção da região para 74.600 t no ano passado.
 
Rondônia aparece como o maior produtor de peixes nativos do Brasil, com 65.500 t Apesar de a produção ter recuado 4,8% em 2020, o estado mantém-se na 3ª posição entre os estados produtores.
 
No 4º lugar, a produção de Santa Catarina cresceu 3% e atingiu 51.700 toneladas. Já o aumento da produção de pangasius foi um importante ingrediente para o Maranhão ser o 5º maior produtor de peixes de cultivo em 2020, saltou 6% e totalizou 47.700 t.
 
O Mato Grosso produziu 46.800 t e perdeu uma colocação na tabela. Com o desempenho, o Estado teve recuo de 5,3% em 2020.
 
 
Minas Gerais mantém-se na 7ª posição do ranking de Estados produtores, com um salto de 14,8% na produção (44.300 t). Já Mato Grosso do Sul também ficou estável (8ª posição), com crescimento de 8,7% na produção (32.390 t).
 
Uma inversão de posição também foi vista nos 9º e 10º lugares. A Bahia superou Goiás e ficou em 9º, com 30.270 t (+5,8%). A produção de Goiás manteve-se estável no ano, com sutil aumento de 0,2% (30.062 t).
 
Sul na liderança
 
Na análise por regiões, o Sul continua liderando a produção e já representa 31,1% da piscicultura brasileira, com 30,3% em 2019 e produção de 249.802 t. 
 
A surpresa ficou com o Nordeste que superou o Norte e tornou-se a 2ª região mais produtiva, com 18,7% do total (151.240). O salto foi de 0,5% em um ano. O Norte (3ª região mais importante) está praticamente empatado percentualmente (149.804 t), porém participava com 20% da produção em 2020.
 
 
A região Sudeste representou 17,6% (140.772 t). Já o Centro-Oeste, que segundo a Peixe BR, tem extremo potencial produtivo – já está ao lado dos grãos – e que certamente será um dos mais importantes propulsores da piscicultura no futuro. Por lá, a produção representa 13,9% do total nacional, com queda de 0,7% em relação a 2019.
 
Créditos da imagem: PXhere

, aquicultura, carpas, outras espécies, pangasius, Peixe BR, peixes nativos, tilápia

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3