Retorno da pesca de arrasto ao RS deverá acontecer no final de março
Pesca

Retorno da pesca de arrasto ao RS deverá acontecer no final de março

Segundo o secretário da SAP, Jorge Seif Jr., será possível retornar a pesca do camarão nas águas gaúchas com menos danos ao meio ambiente

23 de fevereiro de 2021

arroba publicidade
O Fantástico, programa dominical da TV Globo, discutiu na edição da segunda-feira (21/02) a polêmica da pesca de arrasto do camarão no RS. Na reportagem, o secretário da Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Jr., aparece em um vídeo ao lado de Jair Bolsonaro comemorando a liberação. Apesar de autorizada, o retorno da pesca de arrasto foi adiada pela SAP até o final de março.
 
Áudios do secretário para um empresário da pesca catarinense circularam no WhatsApp e foram mostrados na matéria: “Então, das duas, uma: Ou a gente se organiza ou nós vamos perder o que conquistamos. Quem suspendeu essa portaria, além da inconstitucionalidade, foi uma coisa chamada Projeto de sustentabilidade Rebyc. Agora a gente tem que cumprir”, falou Seif.
 
Segundo ele, as novas normas da pesca de arrasto baseadas no Projeto vão sair até o final de março e depois disso será possível retornar a pesca do camarão nas águas gaúchas com menos danos ao meio ambiente.
 
O secretário da SAP também negou conflitos de interesses no caso: “A nossa família nunca exerceu nenhuma atividade com o camarão, nós trabalhamos com atum e sardinha. Mas, é importante também dizer que nada melhor do que uma pessoa do setor pesqueiro que conhece as dores poder ajudar com a questão da pesca em todo o Brasil”, frisou.
 
Nas redes sociais, Seif Jr., divulgou vídeos, onde conforme ele, esclarece mais sobre a decisão proferida pelo STF e matéria veiculada no Fantástico:
 
- O Art. 20/Inciso 6º da Constituição foi respeitado;
- O Brasil participa e investe do Projeto Rebyc-II-LAC da FAO/ONU juntamente com outros;
diversos países em prol da sustentabilidade;
-Todas as pescarias podem e devem ser modernizadas;
- Não podemos criminalizar nenhuma atividade produtiva, e sim melhorá-las;
- A pesca de arrasto emprega quase 30 mil pessoas, as quais ficaram 2 anos suspensas
pela Lei Estadual 12.223/RS extrapolando competências e desrespeitando a CF;
- A narrativa mentirosa de que há conflito de interesse em meu benefício próprio não
subsiste quando esclarecido que nunca tivemos barcos nessa modalidade produtiva;
- Vários países já contam com pesca de arrasto com selo de sustentabilidade e estamos
nesse caminho.
 
“Meu compromisso com os pescadores e o setor da pesca em geral é: Enquanto o presidente Jair Bolsonaro estiver sentado no Palácio do Planalto e eu for secretário da SAP não entra nenhuma embarcação estrangeira para explorar as nossas águas’, falou em um dos vídeos.
 
Do lado gaúcho, a reportagem do Fantástico mostrou que projeto de redução de danos é visto com desconfiança. “O Projeto para nós do Rio Grande do Sul é só um subterfúgio para poder novamente colocar a frota que praticamente é toda de Santa Catarina”, falou Alexandre Novo, porta-voz do Sindicato de Armadores de Pesca do RS.
 
Créditos da imagem:  Pixabay

, camarão, Jorge Seif Jr., Pesca de arrasto, Projeto Rebyc, SAP, Sindicato de Armadores de Pesca do RS

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3