Ostras e mexilhões são ferramentas contra efeito-estufa
Aquicultura

Ostras e mexilhões são ferramentas contra efeito-estufa

Malacocultura se enquadra como um sistema sustentável, já que também não impacta no balanço natural com a emissão desses gases

12 de abril de 2021

arroba publicidade
Você sabia que ostras e mexilhões contribuem ambientalmente com o armazenamento de carbono em suas conchas? Ao sequestrar um dos gases causadores do efeito estufa da atmosfera, a malacocultura (produção de ostras, mexilhões e vieiras), se enquadra como um sistema sustentável, já que também não impacta no balanço natural com a emissão desses gases.
 
Assim, contribui para a segurança alimentar e o desenvolvimento econômico nacional, podendo atender às crescentes demandas por proteína animal.
 
Essas informações fazem parte de uma das pesquisas lançadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) sobre os fatores de emissão e remoção de gases de efeito estufa na pecuária e agricultura nacionais.
 
No material, em formato de coletânea, cerca de 400 pesquisadores apresentam indicadores, muitos inéditos, que levam em consideração a forma de cultivo, os diversos biomas, dentre outros fatores capazes de mostrar a realidade dos sistemas produtivos do País.
 
“Em um ano tão importante como 2021 para o clima, lançamos essas Coletâneas tão importantes. Ampliamos a disponibilidade de dados sobre os sistemas nacionais que levam efetivamente em conta as especificidades edafoclimáticas do Brasil, a partir de metodologias científicas e aceitas internacionalmente”, disse a ministra Tereza Cristina ao lembrar importantes agendas climáticas internacionais a serem realizadas ao longo do ano como a Cúpula da Terra e a COP-26.
 
Acesse mais informações aqui.
 
Créditos da imagem: Pixabay
 

COP-26, Cúpula da Terra, malacultura, Mapa, mexilhões, ostras, Tereza Cristina

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3