Conveniência de atum enlatado ganha consumidores na UE
Indústria

Conveniência de atum enlatado ganha consumidores na UE

Panorama do mercado de atum em conserva foi aresentado durante a Conxemar

13 de outubro de 2021

arroba publicidade
Os consumidores na União Europeia estão cada vez mais interessados ​​no valor nutricional daquilo que comem e no impacto ambiental do produto, mas também estão interessados ​​na conveniência do produto, razão pela qual o atum em conserva continua a ser um dos alimentos mais importantes nas compras.
 
Um panorama do mercado de atum em conserva foi aresentado durante a Feira Internacional de Frutos do Mar Congelados (Conxemar) realizada na semana passada, em Vigo, na Espanha. Como conta a Europa-Azul, Juan Vieities, Presidente da Eurothon, se concentrou na importância da embalagem do produto, que hoje desempenha um papel de destaque na captura da atenção do comprador.
 
Por esse motivo, cada vez mais logotipos de certificação de sustentabilidade e referências claras e imediatas aos benefícios para a saúde aparecem nas embalagens. Não é de surpreender, observou, que os compradores também escolham a conveniência e facilidade de uso.
 
O consumo de conservas de atum na UE é de cerca de 1,53 kg/pessoa/ano. Segundo Vieities, se for calculado com base na quantidade total de atum que circula no mercado, Malta seria o país que mais consome per capita, mas uma quantidade significativa do produto, uma vez importada, é enviado para o Norte da África.
 
A Espanha tem um consumo per capita de 2,9 kg/ano, o segundo maior do bloco econômico. Em segundo lugar está Portugal, que também apresenta um consumo quase igual de atum em conserva, com 2,85 kg/ano. Seguem-se Itália e França, com um consumo de cerca de 2,47 kg/ pessoa e 1,87 kg/pessoa, respectivamente. 
 
Créditos: Pixabay
 

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3