Ressaca da Páscoa em SP foi melhor que em anos anteriores
Food Service

Ressaca da Páscoa em SP foi melhor que em anos anteriores

Bacalhau segue na preferência do público na maioria dos estabelecimentos pesquisados

03 de maio de 2019

arroba publicidade
Com o chocolate guardado para o domingo de Páscoa, o pescado mais uma vez foi o protagonista da Sexta-Feira Santa (19) e movimentou estabelecimentos em São Paulo.

Só no Restaurante Bacalhau, Vinho e Cia foram consumidos cerca de 800 kg de bacalhau em sua 45ª Sexta-feira Santa. A casa, situada no bairro paulistano da Barra Funda, é especializada na espécie, que aparece em 16 pratos do cardápio.

“Na última Sexta Santa sentimos uma procura maior [em relação ao ano anterior]. A fila de espera estava em 3h e muita gente foi embora sem esperar”, comentou o proprietário Carlos Pallas.

Segundo Pallas, a busca surpreendeu até na chamada “ressaca de bacalhau”: “são as primeiras semanas após a Páscoa. Neste período normalmente as vendas caem um pouco, mas neste ano até essa ressaca está mais suave”, declarou.  Além da estrela da festa, o camarão, o linguado e o polvo foram os pratos mais comercializados no estabelecimento na data.

O Petiskin do Bob na Pompéia é famoso por seus petiscos e frutos do mar, embora as opções de pratos também sejam servidas à la carte. Na Sexta-Santa o restaurante também esteve lotado, com fila de espera em torno de 2h, disse a gerente, Samara Lima. “No feriado o movimento foi 80% maior das 11h30 até 00h, quando fechamos”, comentou.

Com um movimento maior do que no ano passado, a liderança ficou outra vez com o bacalhau - tanto nos pratos executivos quanto nos espetinhos -, com o salmão e o camarão completando o ranking.

Já no Restaurante Tomodaty I, a proprietária Riciane Monaro disse que o self-service foi movimentado a semana toda, mas sem uma melhora significativa em relação a 2018. Uma grande diferença só foi perceptível mesmo na Sexta-Feira Santa, “quando as vendas por encomenda cresceram 60%”.

O cardápio da semana foi especial para a Páscoa. O bacalhau teve grande saída, embora tenha dividido a preferência do público com o linguado, a merluza, a sardinha e o salmão.

Com mais de 20 anos no mercado, o Tomodaty têm duas lojas em Suzano, que servem culinária japonesa e a comida brasileira.

No Rancho da Traíra, em Mogi Mirim (SP), o bacalhau não teve vez, até porque o restaurante só trabalha com peixes de água doce há 30 anos. A traíra segue como a celebridade da casa, mas o camarão na moranga é que conquistou o público local.

A loja tem capacidade para 500 pessoas e esteve lotada no almoço da Sexta-feira Santa: “Foram 800 pessoas só para almoçar”, comentou o sócio-proprietário Hernanes Guimarães.

Apesar do número significativo de visitantes, Guimarães revela que a quantidade esteve abaixo da esperada. “Tínhamos uma expectativa maior neste ano, até porque o ano passado foi melhor do que o ano retrasado.”

 
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3