GPA lança Programa de Consumo de Pescado não-convencionais
Varejo

GPA lança Programa de Consumo de Pescado não-convencionais

Programa contempla espécies como: Pargo-Rosa, Sororoca, Carapau, Saramonete, Olhete, Catuá, Olho de Boi,Olho de Cão, Cavala e Xaréu.

19 de setembro de 2019

arroba publicidade
Tartar de Olho de Boi com creme de anchova, Sororoca ao creme de pastinaca e Olhete com beurre blanc de laranja e cenoura foram as opções de pescado presentes no menu do jantar que o Grupo Pão de Açúcar ofereceu na noite da terça-feira (17), em São Paulo. Os pratos com peixes fora do habitual dos brasileiros tinham o objetivo de supreender os paladares de jornalistas e influenciadores digitais. A ação marcou o lançamento do Programa de Consumo de Pescado não-convencionais da rede.  
 
Com foco na diversificação do consumo e de espécies em sobrepesca, de forma a colaborar para o equilíbrio dos recursos pesqueiros, o Programa faz parte da estratégia do Pão de Açucar para incentivar o consumo de peixes marinhos menos conhecidos no País. A campanha teve início há um ano, quando a rede passou a disponibilizar em algumas de suas lojas as espécies Pargo-Rosa, Sororoca, Carapau, Saramonete, Olhete, Catuá, Olho de Boi, Olho de Cão, Cavala e Xaréu. 
 
O gerente comercial, Rafael Guinutzman, explicou que apesar dos peixes já estarem nas lojas, um trabalho mais forte de divulgação começou recentemente. “Agora temos insistindo mais nesta comunicação para divulgar ao consumidor, que ele conheça melhor as espécies e que existe uma variedade de pescado, mas que hoje em uma peixaria do Pão de Açúcar ele encontra outros sabores”.
 
Guinutzman destaca que a comercialização dessas espécies começa a apresentar resultados, embora ainda esteja muito longe do que o grupo estima chegar. Segundo ele, os clientes já estão procurando os peixes não-convencionais e a demanda está aumentando aos poucos. “A expectativa é de que eles cresçam, sabemos da relevância dos congelados e de espécies como salmão e tilápia, entre outras, mas que não fique só nisso ao oferecer outras opções para o consumidor”, frisou.
 
Na rede, a Semana do Pescado, que aconteceu entre os dias 1º e 15º de setembro, foi direcionada para o consumo destas espécies. O gerente comercial revela que a data foi importante para o grupo, onde utilizou-se de toda a comunicação com o consumidor para um trabalho mais relevante no sentido de ensinar o preparo dos peixes, contar um pouco mais de suas histórias e mostrar suas variedades.
 
O responsável pelos pratos da noite foi o chef do litoral santista, Andre Ahn, que é conhecido pelo envolvimento em diversos projetos de estudo de pescado. “É a primeira vez que um grupo grande compra essa briga”, falou Anh. Segundo ele, ação do grupo é óbvia, no sentido de que o melhor peixe é o que apresenta mais frescor. “Sempre fui um chef que brigou por isso”, cravou.
 
Conforme Anh, os pratos foram pensados para valorizar ao máximo o frescor do pescado. O menu contou com as espécies Olho de Boi, Sororoca e Olhete. 
 
 
O Programa
 
“O Pão de Açúcar acredita que as atitudes são sustentáveis a partir do esforço e transformação de todos os atores, de como consumimos e como ofertamos. Assim, a oferta responsável e consciente com maior variedade de espécies de peixes contribui para o aumento da conscientização do consumidor sobre colaborar para o equilíbrio dos recursos pesqueiros e manutenção da cadeia de pescado”, falou Lucas Zanon, diretor de operações. 
 
De acordo com o grupo, foi criado no seu programa formativo uma capacitação para os seus colaboradores de loja, com a finalidade de levar mais informações até os consumidores e contribuir para o consumo consciente com a diversificação de espécies de peixes.  
 
“Os peixeiros e gerentes de lojas são os colaboradores prioritários desta ação. Palestras com chefs de cozinha especializados, especialistas, conteúdos em materiais impressos e digitais para consultas estão sendo disponibilizados para todos que trabalham diretamente com atendimento ao público na peixaria. A disseminação desses conteúdos, por meio de nossos colaboradores, contribuem para oferecermos oportunidades de consumo de pescado com frescor, qualidade e sustentabilidade”,  completou Zanon.
 
Conforme ele, a ideia é que esses colaboradores tenham informações para sugerirem dicas para o preparo de pratos cuja a proteína principal seja um dos peixes não-convencionais.
 
O processo de implantação já ocorre em algumas lojas do Pão de Açúcar na Cidade de São Paulo. Mas o projeto deverá seguir para outras regiões do Brasil, como o Centro-Oeste e Nordeste, com expectativa de que seja concluído até 2020.
 
Segundo o grupo, o critério de compra respeita o período de defesos e outra iniciativa voluntária diz respeito ao equilíbrio do meio ambiente do pescado ao escolher não comercializar espécies em possível risco de extinção (como garoupa e badejo), mesmo liberadas pela legislação.

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3