Com novo complexo de abate de tilápias, C.Vale terá de superar custo energético

Com novo complexo de abate de tilápias, C.Vale terá de superar custo energético

Sistema superintensivo patenteado pela cooperativa exige uso constante de aeração, fator de grande consumo energético

26 de outubro de 2017

arroba publicidade
O complexo industrial com o maior potencial para o abate de tilápias do Brasil foi inaugurado em 20 de outubro por um séquito de autoridades lideradas pelo presidente Michel Temer e o ministro da Agricultura, Blairo Maggi. Na ocasião, porém, o presidente da cooperativa C.Vale, Alfredo Lang, incluiu uma crítica à política energética do governo que vai interferir nos planos da empresa.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) confirmou em 24/10 que pretende aumentar o patamar 2 da bandeira tarifária vermelha em 42,8%. O custo da energia atinge diretamente o sistema de cultivo intensivo de altas densidades (60 tilápias/m²) patenteado pela cooperativa, que envolve o uso intenso de aeração - equipamentos que consomem muita energia elétrica.

"Nossos planos eram adotar a tecnologia superintensiva de imediato, mas fomos surpreendidos pelas bandeiras tarifárias que encareceram o custo da energia elétrica. Assim, fomos obrigados a lançar o plano B, com o sistema convencional de tanques escavados", disse o presidente. Lang confirmou que o plano B é a adoção de células fotovoltaicas para produção de energia solar nas propriedades.  

O sistema de cultivo, desenvolvido em parceria com a Universidade de Pisa, na Itália, é a grande aposta da cooperativa para se diferenciar do principal competidor e maior processador nacional: a Copacol, que deve fechar o ano com 140 mil peixes abatidos por dia.

C.Vale em números

Seja como for, o complexo com fábrica de ração e abatedouro de peixes nasceu oficialmente para os cooperados do oeste paranaense com números impressionantes para a realidade do setor. Com projeção inicial de processar 75 mil tilápias/dia, a estrutura tem 10.012 m² e consumiu R$ 110 milhões em investimentos.

A inauguração marca os 20 anos da cooperativa, que pretende cruzar a barreira de 600 mil frangos por dia em 2018. Quando começou, em 1997, eram 16 mil frangos/dia. Para tanto vai contar com uma força de trabalho impressionante: mais de 19 mil associados e quase 9 mil funcionários.

A meta para as aves é a mesma que pode ser atingida pelo projeto do frigorífico no auge: 600 mil tilápias/dia. Em torno de 450 funcionários irão operar maquinário presente nas mais modernas plantas de processamento de pescado no mundo.

Leia mais detalhes na edição #21 da revista Seafood Brasil.

Veja abaixo as fotos do evento, cedidas pela assessoria de imprensa da C.Vale:

[gallery ids="9323,9322,9321,9319,9318,9317,9316,9315,9313"]

Alfredo Lang, C.Vale, cooperativismo, Copacol, CVale, frigorífico de tilápia, piscicultura, tilápia

 
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3