Aquicultura na Ásia em foco: Japão
Aquicultura

Aquicultura na Ásia em foco: Japão

País se mantém como um produtor de peixes e crustáceos com reconhecida tradição

Luiz Storino Filho - 07 de outubro de 2019

arroba publicidade
O Japão se mantém como um produtor de peixes e crustáceos com reconhecida tradição de cumprir um rigor técnico superior (e cobrar muito bem por isso). O país age para protejer seus mercados e consumidores domésticos de cederem à tentação de buscar, em outros países da Ásia, opções de proteína animal mais baratas.
 
É na ilha de Kagoshima, que fica cerca de 2 horas de vôo de Tóquio e 380 Km ao sul da cidade de Fukuoka, que alguns criadores de camarão concentram suas atividades na produção em sistema RAS do Camarão Imperial Japonês (Japanese Imperial Prawn) ou em bom japonês Koruma Ebi.
 
 
O Koruma Ebi não é famoso exatamente por ser uma camarão grande. Comercialmente ele é oferecido a partir de 5 g, mas é no formato de 25 g que é comumente conhecido da cozinha japonesa, inclusive em outras regiões e na capital, a espécie é oferecida em pratos que custam até US$ 500/kg na cena gourmet de Tóquio.
 
É na criação de Koruma Ebi instalada em 1973, mas que desde 2004 é administrada por Motomu Fujita e mais 4 funcionários, que a produção de 12 toneladas por ano é realizada em sete tanques de recirculação. As instalações desses tanques foram feitas de acordo com os hábitos desse animal que é arraçoado somente 1 vez ao dia, e sempre no cair da tarde. Já o fundo do tanque possui peças em concreto que funcionam como abrigo para os animais durante o dia.
 
A produção de sementes, larvas e pós-larvas também é feita na propriedade em estufas isoladas e climatizadas para suportar a temporada de inverno na ilha.
 
 
 
Além de Kagoshima, os produtores de Okinawa também se especializaram na criação do crustáceo, porém o abastecimento de Tsukiji, mais reconhecido mercado de peixes do país, é feito quase que exclusivamente com os exemplares de Kagoshima. O preço de venda no portão da propriedade chega a custar US$ 110/kg.
 
 
Errata: No artigo "Aquicultura na Ásia em foco: Cingapura" foram identificadas algumas informações equivocadas que são corrigidas a seguir:
 
O governo de Cingapura vem reestruturando suas agências de controle, pesquisa e desenvolvimeto e agora parte do AVA foi absorvido pelo  National Parks Board (NPARKS). O NPARKS é o conselho nacional que se encarrega de todo o patrimônio natural das ilhas com  administração do governo soberano de Cingapura. 
 
Desde junho de 2019 os trabalhos de pesquisa na Ilha de Saint Jonh estão sob a altarquia do que agora se chama Animal and Veterinary Services (AVS ). Os assuntos sobre alimentos foram então incorporados pelo Singapore Food Agency (SFA).
 
Aos poucos mais serviços dessas duas novas agências estarão disponíveis via internet confirmando oportunidades de pesquisa e negócios na região.

aquicultura, Camarão Imperial Japonês, Koruma Ebi, Okinawa, mercado de Tsukiji

Sobre Luiz Storino Filho
 
  • Diretor de Novos Negócios da Ceresco Nutrition na Asia, sócio e membro do conselho diretivo da Agertek no Brasil e representante na BluEco Network.
 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3